Igualdade de Oportunidades

Fomento da Economia

Acredito que a economia  deva ser fomentada. Que os cidadãos desempregados possam encontrar alternativas que não necessariamente passem pela recolocação em em empregos que já não existem – e não vão existir até o final da década. Não dá para esperar até lá. O prato de comida tem de estar cheio para hoje – e não pode ser “comprado” somente por ações assistencialistas do governo – que vão acabar em breve. Os cidadãos vão ter que ligar o “se virômetro”, passando a ser microempresários que geram sua própria renda. Eu vou apoiar tudo isso.

 

 

 

Geração de Renda e Empregos

Cidadão desalentado ou desempregado que passa a gerar sua própria renda, sem depender do assistencialismo do governo, se torna mais digno e capaz de gerar empregos para parentes, amigos e até gente que era desconhecida. Fantástico. É por isso que vou lutar: para que você, se nessa situação, dependa cada vez menos do governo e recupere a sua plena capacidade enquanto cidadão.

 

 

Diminuição da Burocracia

Para chegarmos lá, precisarei lutar contra um dos nossos maiores inimigos: a burocracia. A burocracia atrapalha – e muito – a formação de novos negócios. Ajuda a manter empregos de pessoas sem qualificação técnica e que só atrapalham a abertura de novos negócios. A Prefeitura pode abrir mão de taxas de licenciamento de novos negócios – e passar a faturar em cima do sucesso dos negócios novos, através do recolhimento do Imposto sobre serviços. Não há sentido em faturar antes da empresa começar a funcionar. Esse é um desincentivo. Vou lutar para mudar isso. E converter os fiscais, que vivem querendo fechar as empresas, em consultores, que vivam querendo fazer com que as novas empresas deem certo e gerem mais impostos para a Prefeitura!

Voltar para Página Principal
FIQUE CONECTADO NAS NOSSAS REDES SOCIAIS